Quero certos mentecaptos a uma respeitável distância.

Fui confrontado não há muito tempo com este conceito que desconhecia, a direita “amiguinha”. Na altura que me disseram a coisa, havia uma distância pouco segura entre a necessidade de encontrar consensos e a vontade de perguntar que treta de mariquice era aquela.

Um gajo nestas coisas cede, em parte convencido que a coisa é realmente um desabafo assim para o azedo, em parte porque o dia é curto e não se pode perder tempo com tudo.

Como é lógico a coisa passou-se mas ficou na mioleira a leve desconfiança que lidava com parvoíce endémica e recorrente, o que se provou verdadeiro. Aqui, os ilustres defensores da tese variam entre o moderadamente inteligente e o débil mental. Não me preocupa nada a primeira espécie, que no imediato alinha na retórica maniqueísta para daqui a uns tempos repensar a coisa, já a segunda é preocupação na certa, preocupação no sentido de fazer doer os nós dos dedos, já que a mesma – sebenta e serviçal – tem o mau hábito de não medir distâncias e termos de lhe dar na focinheira para manter uma distância higiénica.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: